quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Do menor pastor do mundo a Tio Chico. A indústria do testemunho.


Renato Vargens



Uma das práticas litúrgicas mais comuns no meio evangélico é o chamado testemunho. É impressionante como alguns pastores gostam de um ex-alguma coisa. Os cultos neo-pentecostais, por exemplo, estão lotados de “irmãos” que cometeram delitos nos passado e que gostariam de uma “oportunidade” para compartilhar as bênçãos de Deus. Nesta perspectiva encontramos todo tipo de ex, ex-ladrão, ex-bruxo, ex-traficante, ex-michê, ex-prostituta, ex-travesti, ex-trambiqueiro, ex-aidético, ex-cafetão, ex-parceiro do diabo e muito mais.

Há pouco fui abordado por destes “EX” se oferecendo para testemunhar aquilo que Deus havia feito em sua "pobre e desgraçada" vida. A contrapartida da igreja seria uma singela oferta, além obviamente de conceder ao "nobre" EX a oportunidade de vender CDS com seu testemunho.

Caro leitor, vamos combinar uma coisa? A igreja de Jesus não é um circo. Chega de ouvirmos absurdos como os ensinados por falsos profetas como Rebeca Brown, Daniel Mistral e Tio Chico, que ao longo dos anos tem propagado doutrinas que se contrapõem em muito a ortodoxia cristã.

Confesso que estou cansado disso. Não me interessa as elocubrações nem tampouco as viagens esquizofrênicas de Tio Chico e cia, a Palavra de Deus me basta! Não me interessa saber se este cidadão cometeu necrofilia ou era amigo pessoal do capeta, o que me importa é Cristo Jesus e sua Palavra.

Ano retrasado vi um cartaz que dizia: “venham assistir o menor pregador do mundo”. Ora, o convite não se fundamentava na qualidade do pregador nem tampouco na sua homilia, ou capacidade teológica de expor a fé, mas sim no inusitado, no exdrúxulo. no aberrativo. Outra pessoa teve a pachorra de me oferecer a oportunidade de receber em minha igreja uma menina pastora, que aos 07 anos recebera uma nova unção de Deus. Para piorar a situação, o tempo em que as igrejas deveriam destinar à pregação da Palavra tem sido gasto com testemunhos manipuladores e interesseiros de pessoas que se sentiram agraciadas pelo “gênio da lâmpada mágica” recebendo carros, casas e dinheiro.

Fala sério! falta-me palavras para retratar minha indignação! O que fizeram do cristianismo? Que evangelho louco é esse? Ora, este não é, não foi e nunca será o Evangelho do meu Senhor.

Caro leitor, 31 de outubro se aproxima e com ele a possibilidade de refletirmos a luz da história sobre o significado e importância da Reforma. Acredito piamente que os conceitos pregados pelos reformadores precisam ser resgatados e proclamados a quantos pudermos, até porque, somente assim, poderemos novamente sair deste momento preocupante e patológico da Igreja evangélica.


Uma nova reforma Já!

***

Fonte Pr Renato Vargens

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.