quarta-feira, 2 de maio de 2012

Aos pastores e líderes que apascentam o rebanho de Cristo.

“Se a igreja está sendo edificada com grande medida de charme, personalidade, oratória agradável, pensamento positivo, habilidades administrativas, experiências emocionais e espertezas, mas sem a proclamação de ‘Jesus Cristo e este crucificado’ (...) podemos estar ganhando mais adeptos do que convertidos.”

Por José Lima de Farias Filho

Nenhum homem ou mulher, salvo pela graça de Cristo e chamado para o santo ministério, pode cometer o erro de buscar forças ou capacitações espirituais noutra fonte que não seja Cristo, que é o poder e a sabedoria de Deus.

Um pastor, presbítero, diácono, diaconisa, missionário(a), obreiro(a), em fim, um servo de Cristo, pode buscar outros tipos de conhecimento no mundo? Claro que pode! A palavra de Deus não é contra o saber. Todavia, somente o poder e a sabedoria de Deus, que é Cristo, podem dar poder e autoridade espiritual, capaz de alcançar os corações dos pecadores e os conduzirem, convertidos, ao reino de Deus.

A afirmação categórica acima não é minha. Está na palavra de Deus. E esse ensino foi dado porque já no tempo dos coríntios havia líderes cristãos que confiavam mais no conhecimento ou nas ciências humanas do que no poder da cruz de Jesus; usavam mais as suas habilidades adquiridas nas academias humanas do que as ferramentas espirituais advindas do poder do santo evangelho de Jesus. Segundo a Bíblia, essa mudança é prova de perdição espiritual.

Em I Coríntios 1:18-25 o Espírito Santo, por intermédio de Paulo, declara que de fato, a mensagem da morte de Cristo na cruz é loucura para os que estão se perdendo; mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus! E por que é assim? Porque as Escrituras Sagradas dizem
“Destruirei a sabedoria dos sábios e acabarei com o conhecimento dos instruídos.”
Quem diz isso não sou eu, é Deus. Então, continua dizendo a Escritura, o que poderão dizer os sábios e os instruídos nas ciências do mundo? O que vão dizer os grandes oradores deste mundo e peritos em discursos bem elaborados? Vejam o que a Bíblia responde:
“Deus tem mostrado que a sabedoria deste mundo é loucura.”
Como já disse, a Bíblia Sagrada não é contra o conhecimento; a Palavra não é a favor do obscurantismo ou da ignorância. Quando a Palavra de Deus e o Deus da Palavra afirmam que a sabedoria do mundo é loucura estão declarando categoricamente que só a sabedoria e o poder de Deus, que é Cristo, deve ser a fonte da ação ministerial daqueles que são chamados para pregar o santo evangelho, pois a pregação da cruz é a loucura de Deus para salvar os pecadores.

E por que é assim amados? É assim porque Deus, na sua sabedoria, não deixou que os seres humanos o conhecessem por meio da sabedoria deles. Pelo contrário, resolveu salvar aqueles que creem e fez isso por meio da mensagem que nós anunciamos, a qual é chamada de “louca” (cf. I Co 1:22).

O apóstolo Paulo declara que os judeus pedem milagres como prova de que Cristo é o poder de Deus, e os não-judeus, os gentios, procuram a sabedoria deste século como meio de conhecer a Deus, todavia, garante Paulo, nós anunciamos o Cristo crucificado, que é uma mensagem que para os judeus é ofensa e para os não-judeus é loucura. Mas para nós que temos um chamado divino e o levamos a sério, Cristo é o poder de Deus e a sabedoria de Deus. Pois aquilo que parece ser a loucura de Deus é mais sábio do que a sabedoria humana, e aquilo que parece ser a fraqueza de Deus é mais forte do que a força humana.
“Se a igreja está sendo edificada com grande medida de charme, personalidade, oratória agradável, pensamento positivo, habilidades administrativas, experiências emocionais e espertezas, mas sem a proclamação de ‘Jesus Cristo e este crucificado’ (...) podemos estar ganhando mais adeptos do que convertidos.”
Não é a toa que a palavra de Deus adverte:
“Que ninguém engane a si mesmo! Se algum de vocês pensa que é sábio conforme a sabedoria humana, então precisa se tornar louco para ser, de fato, sábio. Pois aquilo que este mundo acha que é sabedoria Deus acha que é loucura”. Como dizem as Escrituras Sagradas: “Deus pega os sábios nas suas espertezas.” E também: “O Senhor sabe que os pensamentos dos sábios não valem nada.” (I Co 3:18-20)
Amados, o Senhor da Igreja entregou-a em nossas mãos. Vocês e eu, recebemos o que não merecemos:
cuidar da noiva e futura esposa do Rei dos reis e Senhor dos senhores.
Tremenda responsabilidade! Não temos opções de agirmos carnalmente, pois cuidamos da mulher de Cristo. Não podemos viver como vivíamos no mundo. Não podemos nos comportar como crianças na fé. Tudo isso quer dizer que quando ainda existem ciumeiras e brigas entre nós, provamos que ainda somos pessoas deste mundo e fazemos o que todos fazem. Quando alguém diz: “Eu sou de Paulo”, e outro: “Eu sou de Apolo”, será que assim não estamos agindo como pessoas deste mundo? Quando ainda temos preferências pessoais ou lutamos contra alguém, ainda somos carnais! Como diz a Escritura: “Afinal de contas, quem é Apolo? E quem é Paulo?” São somente servidores de Deus! Deus apenas usa os homens para que outros homens creiam no Senhor. Cada um de nós faz o trabalho que o Senhor lhe deu para fazer:
um planta e o outro rega a planta, mas é Deus quem a faz crescer. De modo que não importa nem o que planta nem o que rega, mas sim Deus, que dá o crescimento. Pois não existe diferença entre a pessoa que planta e a pessoa que rega. Deus dará a recompensa de acordo com o trabalho que cada um tiver feito. Porque nós somos companheiros de trabalho no serviço de Deus, e os irmãos são o terreno no qual Deus faz o seu trabalho. (cf. I Co 3:1-9)
Amados, avaliem a maneira espiritual como têm cuidado da igreja de Cristo. Somos apenas auxiliares de Jesus. Não somos donos da obra, não somos senhores dos que Ele comprou com seu sangue. Somos apenas cooperadores de Cristo. Todavia, somos instados a cuidar bem de cada parte do corpo de Cristo. Todos nós que pastoreamos o rebanho de Jesus sabemos que a igreja é o templo do Espírito Santo. Isso é muito sério! Jamais poderemos usar a igreja para nossos interesses pessoais ou para realizar nossos sonhos ministeriais. A história do povo de Deus, tanto no Antigo, como no Novo Testamento e nos dois últimos mil anos de cristianismo, mostra como Deus agiu na vida de todos os que usaram a igreja para fins pessoais.

O Senhor Deus Todo-Poderoso declara:
“Certamente vocês sabem que são o templo de Deus e que o Espírito de Deus vive em vocês.” Em seguida, ameaça: “Assim, se alguém destruir o templo de Deus, Deus destruirá essa pessoa. Pois o templo de Deus é santo, e vocês são o seu templo.” (cf. I Co 3:16 e 17).
O pastor precisa estar atento para que a igreja não venha a ser destruída! São muitas as formas pelas quais a igreja poderá ser destruída:
pelas heresias, pela substituição da pregação da cruz por outros temas modernos, por conversões superficiais, pelo entretenimento espiritual em vez do aprofundamento na santidade, pelas fofocas, pela falta de oração e jejum, pela amargura no coração, pela busca constante da autopromoção, pelo materialismo, pela permanente falta de conhecimento das Escrituras Sagradas.
São muitas as maneiras de destruir a igreja. Todavia, diz o Senhor, “se alguém destruir o templo de Deus, Deus destruirá essa pessoa. Pois o templo de Deus é santo”. Este é um severo alerta que Deus dá a todos os crentes, mais, sobretudo, àqueles que vivem causando contendas e divisões no corpo de Cristo. Cuide bem desta parte estimado pastor.

Amados, o Senhor da igreja que nos salvou e chamou para este santo ministério garante que se estivermos ligados nele daremos muitos frutos, seremos produtivos (Jo 15:2). Logo, somos indesculpáveis se não apresentarmos frutos. Quem não frutifica no ministério provou que não está em Cristo. Ele próprio, o Senhor, é o que dá o crescimento. Nós, todavia, plantamos e regamos, ou seja, o crescimento que vem do Espírito Santo é feito no chão onde semeamos e regamos. Além da analogia da agricultura, a palavra de Deus usa a analogia da arquitetura para nos ajudar a compreender espiritualmente como devemos trabalhar e sermos produtivos. Somos, por assim dizer, o edifício de Deus. Usando o dom que Deus nos deu, fazemos o trabalho de um construtor competente. Um põe o alicerce, e outro constrói em cima dele; porém cada um deve construir com cuidado. Que cuidado? É o seguinte: Deus já pôs Jesus Cristo como o único alicerce, e nenhum outro alicerce pode ser colocado. A produção que agrada a Deus não pode ser feita fora desse alicerce. Alguém pode ter resultado fora de Cristo? Pode! Mas é inútil para Deus. Não podemos usar outra base espiritual na pregação a não ser Cristo, e Cristo crucificado!

Alguns usam outros materiais? Sim! É só ligar a televisão e veremos os mais variados, ecléticos e exóticos tipos de materiais. Todavia, a palavra de Deus diz:
“Alguns usam ouro ou prata ou pedras preciosas para construírem em cima do alicerce. E ainda outros usam madeira ou capim ou palha. O Dia de Cristo vai mostrar claramente a qualidade do trabalho de cada um. Pois o fogo daquele dia mostrará o trabalho de cada pessoa: o fogo vai mostrar e provar a verdadeira qualidade do trabalho. Se aquilo que alguém construir em cima do alicerce resistir ao fogo, então o construtor receberá a recompensa. Mas, se o trabalho de alguém for destruído pelo fogo, então esse construtor perderá a recompensa.” (cf. I Co 3:11-15)
O fundamento do edifício já foi lançado: Cristo e sua cruz. Não podemos fazer novo alicerce. Fazer isso é erro gravíssimo. Não menos grave é levantar o edifício com materiais inferiores ao alicerce. Há apenas dois tipos de materiais para edificação: o que resiste ao fogo e o que não resiste ao fogo. No dia de Cristo saberemos claramente com qual desses tipos edificamos o edifício de Deus. O fogo de Deus provará o nosso trabalho. Veremos se a nossa produção subsistirá ou sucumbirá ao fogo. Por isso, o alerta divino: “Cada um veja como edifica!” (I Co 3:10).

Amados, todo o trabalho que realizamos neste ano que se encerra foram com lutas, gemidos, sofrimentos e tribulações. Mas vencemos! Chegamos ao final de mais uma etapa do santo ministério. Graças a Deus! Bendito seja o nome do Senhor! Deus nos recompensará conforme as nossas obras. Recompensará nossa vida e nossa família.

Lá do céu, onde habita, Deus abrirá o seu bom tesouro e mandará a chuva e o alimento para nós e nossa casa, de forma que seremos mantidos sempre em pé, para a glória de Deus.

Estaremos sempre orando, clamando e jejuando a Deus para que no abrir da boca de vocês saiam palavras de fogo. Intercederemos incessantemente por vocês diante do trono da graça a fim de que a maravilhosa graça, a superabundante graça esteja o ano inteiro operando na fraqueza de vocês, pois é assim que o poder de Deus se manifesta.

Por isso, rogamos:
mantenham-se firmes em Cristo e sua bendita cruz. Santifiquem suas vidas com jejum, oração e leitura da palavra de Deus. Não comam o pão da preguiça, mas saiam a campo para semear o santo e poderoso evangelho de Jesus. Assim, verão Deus realizar grandes obras em suas vidas e terão grande colheita, em nome de Jesus.
Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o grande amor de Deus nosso Pai, a comunhão e a consolação do Espírito Santo estejam com todos vós, agora e para sempre. Amém!

Em Cristo.

***

Fonte: Texto de autoria do Pastor José Lima de Farias Filho adaptado por PCamaral para este blog com o intuito de divulgar esta mensagem maravilhosa aos irmãos em Cristo, não só de minha congregação e denominação, mas a todos os que zelam pela verdade e tem amor pelo rebanho que Cristo nos confiou aqui na terra. Que este texto edifique a todos os que o lerem assim como me edificou e fortaleceu. Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e somente ela, a palavra de Deus, pode libertar o homem da escravidão do pecado e lhe dar vida, e vida em abundância.

Que Deus abençoe a todos vocês e seus ministérios!

PCamaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.