sexta-feira, 30 de abril de 2010

Tragédia! Ah, é apenas mais uma!

Por Alex Ribeirão


Enchentes, deslizamentos de terra, terremotos, furacões, mortos e mais mortos, pais condenados por jogar uma criança pela janela… Tais situações, a principio, nos deixam estarrecidos, chocados, por que não dizer comovidos. Mas, estamos nos acostumando com elas. Mal ouvimos uma, logo chega outra. Com maior ou menor intensidade elas nos perseguem. As tragédias ouvidas ou vividas se tornaram naturais a nós, alguns, por incrível que possa parecer, chegam a sentir sua falta quando elas demoram a acontecer. Elas, [as tragédias], se tornaram familiares a nós.
Um dia presenciei o dialogo entre dois pacientes em um hospital de minha cidade.

-“É a 1ª vez que venho aqui”! Dizia o rapaz puxando conversa.
-“Não se preocupe é a primeira de muitas vezes”. Responde a experiente paciente.
-“Demoraram a encontrar meu nome no sistema”
-“Ah é porque você é novato, logo você se tornará bastante conhecido aqui. Você vai ver, nunca mais vai faltar vaga pra você! Eu mesmo venho aqui duas vezes por semana, às vezes até três. Já estou acostumada!”

Será que deveríamos enfrentar situações inesperadas com tanta naturalidade? Será que devemos conviver com as tragédias como se fossem normais? Todos os dias ouvimos boas e más noticias, embora geralmente a mídia dê mais espaço para as más noticias, pois “vendem” mais. Parece-nos que os seres humanos desenvolveram uma atenção maior às más noticias. Elas ganham sempre as primeiras páginas e as manchetes dos jornais e revistas. Mas, se sobrar algum espaço, podemos também ver ainda as boas noticias, nem que seja lá num cantinho qualquer.

As más noticias são mais abrangentes do que imaginamos. Podem afetar desde uma pessoa, a uma família, um bairro, uma cidade, um país, e até o mundo inteiro. Elas abrem espaço para a tristeza, o desânimo, a dependência, seja química, alcoólica ou psicológica, elas trazem consigo uma expectativa de que algo está acontecendo de muito errado, mas ainda pode piorar.

Então, nos acostumamos com o trágico, com os desastres, com as doenças, com os divórcios, com as falências pessoais e relacionais, domesticamos a dor. Estamos, parece que, aguardando o pior. Achamos que estamos sempre preparados, há sempre uma visão ou uma palavra conformista para se expressar, na tentativa de amenizar a dor, ou a situação vivida. Por isso, já não nos chocamos mais com a violência, a noticia de que famílias estão se matando uns aos outros, já não nos comovemos com os bebes abandonados nas portas ou nos rios, o sangue exposto na mídia, bem como os valores desvalorizados e os princípios, distorcidos e infundados, que recebemos no horário nobre. Isso já não nos incomodam mais. Acostumamo-nos a nos acostumar, aprendemos a desenvolver uma "inatitude" chamada passividade.

Que Deus tenha misericórdia de todos nós!

***

Fonte: Devocional de autoria do Pastor Alex Ribeirão divulgado no PC@maral

3 comentários:

  1. Parabéns pelo trabalho no blog. Já estou seguindo.

    Aproveito para lhe convidar a conhecer o meu blog, e se desejar segui-lo, será uma honra.

    Seus comentários também serão muito bem-vindos.

    www.adonainews.com.br

    Vicente Lino da Natividade Apelidado: NEL

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, muito interessante sua colocação....essa é a cruel realidade de nosso mundo...triste mesmo...infelizmente tenho que parabenizá-lo pois não podemos jamais nos alienar e acreditar que nesta vida estamos diante de cenas de um filme fictício onde o final sempre é feliz e emocionante...nosso mundo sempre será emocionante mas num sentido mais horrendo, pois cada dia há uma piora gigantesca e aterrorizante...além disso o que agrava é a alienação...tem gente que está super feliz, acredita que o mundo está melhorando....só se for para aqueles que "montam" nas nossas costas e enriquecem com a desgraça do mundo todo, e quanto mais idiota cego, melhor pra estes...essa é a verdade!...VERDADEIRAMENTE só Jesus!

    ResponderExcluir
  3. Acho que as pessoas já se naturalizaram a elas de maneira que é muito normal ver uma tragédia e não se comover..

    K. Cruz via diHITT

    ResponderExcluir

PCamaral, Palavra de Deus, Teologia, Estudos, Evangelho, Reflexões, Bíblia Sagrada, Estudos Bíblicos, Mensagens Bíblicas

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de publicá-los ou não caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.