terça-feira, 29 de maio de 2012

O Espírito Santo e Sua Atuação no Mundo

E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Do pecado, porque não crêem em mim; da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; e do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado.Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora. Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar. (João 16:8-14)

Por Rute Soares

Para nós, o Espírito Santo é uma pessoa divina que atua na vida dos salvos, que age em ambientes sagrados e que se faz presente em reuniões espirituais. No entanto, essa é apenas uma parte da verdade, pois segundo a palavra de Deus, o Espírito Santo também age no mundo, sobremodo na vida dos não-salvos para conduzi-los a Cristo. Deste modo, sua ação não se limita a “jurisdição” da igreja. Ele não trabalha apenas na vida dos salvos. Não age apenas entre os santos; ele também opera no mundo, entre não santos, entre pecadores perdidos. Ao agir no mundo, o Santo Espírito tem dois objetivos principais:

Em primeiro lugar, o Espírito Santo age no mundo a fim de convencer as pessoas não-crentes. Por estarem sob o domínio do pecado (cf. Rm 6:14; Ef 2:2-3), o não-salvo não reconhece que está errado, ao contrário, procura justificar o pecado. Pois, "o deus deste século lhe cegou o entendimento" (II Co 4:4). Por isso, sem a ação do Espírito Santo é impossível o pecador chegar-se a Cristo. Para entender isso melhor, leia João, capítulo 16, versículos 8 a 11 e veja o que Jesus está falando a respeito do Espírito Santo: "Quando ele vier convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado porque não crêem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado".

A palavra-chave dessa passagem é “convencerá”. O sentido dela é de “persuadir”,ou seja,“levar a crer” ou “aceitar”. Mas essa palavra também carrega a idéia de “sentenciar”, “expor” e “reprovar”. Assim, o Espírito Santo atua para convencer os não-salvos, que sua terrível incredulidade diante de Cristo, resultará, certamente, em punição eterna. O texto começa dizendo que o Espírito Santo convence o não-crente do pecado. Que pecado? O de não crerem em Cristo (v.9), isto é, o pecado da incredulidade. Tanto a Lei de Deus, quanto a nossa consciência podem nos convencer de diversos pecados. Mas o pecado de “não crê em Cristo”, somente o Espírito Santo pode nos convencer. Esse é o pior pecado do mundo! Diz a Bíblia: "quem não crê já está julgado" ( Jo 3:18) "e, condenado" (Mc 16:16).

Em seguida o texto declara que o Espírito Santo convence o não-crente da justiça. Que justiça? A resposta está versículo 10, que diz: "Porque vou para meu Pai". Jesus disse isso, algumas horas antes de ser preso e crucificado. Ele foi tratado como um malfeitor, mas era inocente! Assim, “a justiça da qual o Espírito convence não é a justiça humana, mas a de Cristo”. Justiça essa que foi autenticada, quando ele ressuscitou e quando foi recebido pelo Pai nos céus.

Essas são as maiores evidências de que Jesus Cristo é o Cordeiro perfeito, que pagou o preço total pelos pecados. Lá no Calvário Jesus assumiu nossa condenação e tomou nosso lugar. Ali, pela graça, ele nos declarou justos diante Deus: "Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus" (II Co 5:21). Essa é justiça de Cristo!

Por fim, João 16:8 afirma que o Espírito Santo convence o não-crente do juízo. Que juízo? Jesus explica da seguinte forma no versículo 11: "Porque o príncipe deste mundo já está julgado". Na cruz, Satanás foi derrotado. “Ele já foi julgado, e o veredicto declarado”. Para ele só resta à execução da sentença quando Cristo voltar, em que será lançado no lago de fogo e enxofre (Jo 20:10). Esse será também o destino de todos que se recusarem crerem em Cristo. É desse juízo do qual o mundo deve ser convencido. Deste modo, sabemos que o Espírito de Deus também trabalha, e muito, fora da igreja, longe dos salvos, procurando convencer e chamar os perdidos. Sem essa obra, o ser humano jamais chegaria à salvação.

Em segundo lugar, o Espírito Santo age no mundo a fim de regenerar as pessoas não-crentes. No trabalho de convencer os não-salvos do pecado, da justiça e do juízo, o Espírito Santo gera arrependimento e fé dentro deles. Qual é o alvo nesse processo? O Espírito Santo deseja transformar os seus corações! Essa obra é conhecida por regeneração.

Mas o que é regeneração? É o renascimento ou novo nascimento em Cristo. Pois, se alguém está em Cristo, nova criatura é: "as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo"(II Co 5:17). Veja o que está escrito em Tito 3:5: "Não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo".

O pecador não pode salvar a si mesmo, já que "está morto em seus próprios delitos e pecados" (cf. Ef 2:1). É o Deus misericordioso que o salva! Diz o texto: "ele nos salvou". De que maneira? "Ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo" (Tt 3:5). Em outra tradução lemos assim: "Ele nos salvou por meio do Espírito Santo, que nos lavou, fazendo com que nascêssemos de novo e dando-nos uma nova vida" (NTLH). Aqui não fica dúvida: a regeneração é obra do Espírito Santo. É o milagre do novo nascimento. O maior milagre que pode acontecer na vida de um ser humano!

Quando ele acontece, à justificação acontece simultaneamente. Pela justificação o pecador é declarado justo; pela regeneração, ele é transformado em justo. “A justificação acontece fora de nós, no tribunal de Deus; a regeneração acontece dentro de nós, em nosso coração”. Ao regenerar o não-crente, o Espírito Santo transforma-o por completo e o torna um filho de Deus. Além de ser perdoado de todos seus pecados, o Espírito Santo passa a habitar dentro dele. É algo inexplicável! É uma ação misteriosa e gloriosa do Espírito de Deus. O próprio Jesus afirmou: "O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito" ( Jo 3:8).

Embora seja um mistério, há duas verdades nisso que podemos saber.

A primeira verdade é que todo ser humano precisa nascer de novo. Em João 3, versículos 3 e 5, lemos: "Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus (...), pois, quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus".

A segunda verdade é que o Espírito é quem regenera o ser humano! Ele vai onde o não-salvo está, lá no lamaçal e na escuridão. Ali, o convence do pecado, da justiça e do juízo e o chama para Cristo. Se o pecador atender a esse chamado, ele o transforma numa nova criatura.

Vale a pena conhecer melhor o Espírito Santo! Isso nos faz ter uma visão mais correta e clara sobre nossa missão nesse mundo. Ele não age apenas entre os salvos e santos; ele age também no mundo e, vive atuando entre os não-salvos. Está profundamente envolvido na salvação desses. Note, se o próprio Espírito de Deus, que é Santo, age assim. Então, não vemos razão para agirmos diferentes. Não fomos salvos para nos isolar dos não-salvos. Ao contrário, devemos estar no meio deles, sendo sal e luz. Somos o convidados a uma parceria espiritual no mundo. Nós evangelizamos,mas quem convence e regenera é o Espírito Santo!

Conclusão

O Espírito Santo é bem maior do que pensamos. Ele faz muito mais do que podemos ver ou entender. Age em ambientes que nunca imaginamos. Ele não é uma força ou uma energia impessoal que emana de Deus. Ele é Deus grandioso, poderoso e ilimitado! Está em nós, mas ele não age somente em nós. Age em todo o universo. É onisciente, onipotente e onipresente! O Espírito Santo fez e continua fazendo grandes feitos em todo o momento e em todos os lugares. Foi através dele que a Bíblia foi escrita. Foi no poder dele e a na unção dele que Jesus se fez carne, habitou entre nós e cumpriu a sua missão na terra. É o Espírito Santo que convence o não-crente do pecado, da justiça e de juízo. Bem antes de alguém se converter, ele já está trabalhando para levá-lo a Cristo. Todos os que atendem o seu convite, ele os regenera, os faz novas criaturas e passa a habitar neles.

Leia o Salmo 139, versos 5 a 7. Nesse poema, durante uma profunda reflexão sobre Deus, o salmista inspirado por ele, escreve essas palavras, dizendo: "Tu estás à minha frente e atrás de mim ao mesmo tempo, e me guias e abençoas com a tua mão. Saber isso é algo tão maravilhoso que eu nem consigo compreender! É impossível fugir do teu Espírito!" (Bíblia Viva).

Ao observar a grandeza do Espírito de Deus, o poeta fica intrigado com uma questão: Porque um Deus tão grandioso assim, pode se importar com alguém tão pequeno? Isso era tão magnífico, que ele não podia entender. Meu irmão, eu não sei explicar, mas o Santo Espírito também se importa contigo. Você não faz idéia o quanto ele agiu em toda sua vida para que você fosse lavado e redimido pelo sangue do Cordeiro. Você pode contar com ele! Ele habita no seu coração. Ele guia a sua vida e ilumina sua mente para você compreender a Bíblia. Porém, na obra de convencer o mundo é ele que conta com você. Propõe uma parceria: você evangeliza e ele convence e regenera. Portanto, seja cheio do Espírito do Deus! Permita que ele conduza seus passos. Viva sob a unção e poder dele.

Amém!

BIBLIOGRAFIA


DUFFIELD, Guy P. & CLEAVE, Nathaniel M. Van. Fundamentos da Teologia Pentecostal. São Paulo: Quadrangular, vol. II, 1991.
ERICKSON, Millard J. Introdução à teologia sistemática. São Paulo: Vida Nova, 1997.
GRAHAM, Billy. O Poder do Espírito Santo. São Paulo: Vida Nova, 2009.
GREEN, Michael. II Pedro e Judas, Introdução e Comentário. São Paulo: Mundo Cristão, 1983.
GRUDEM, Wayne A. Teologia Sistemática. São Paulo: Vida Nova, 1999.
HENDRIKSEN, William. Comentário do Novo Testamento: João. São Paulo: Cultura Cristã, 2004.
HORTON, Stanley M. A Doutrina do Espírito Santo no Antigo e Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 1993.
KISTEMAKER, Simon. Comentário do Novo Testamento: Epístolas de Pedro e Judas. São Paulo: Cultura Cristã, 2006.
LOPES, Hernandes Dias. Tito e Filemom: Doutrina e Vida, um binômio inseparável. São Paulo: Hagnos, 2009.
STRONG, Augustus H. Teologia Sistemática. São Paulo: Teológica, 2002.
WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico expositivo: Novo Testamento 1. Santo André, SP: Geográfica, 2006. __________. Comentário Bíblico expositivo: Novo Testamento 2. Santo André, SP: Geográfica, 2006.

4 comentários:

  1. Muitíssimo obrigado por me explicar mais e mais do E.Santo.como ele e extraordinário.ele trabalha aonde nao podemos chegar e faz a obra perfeita.que legal.sei que agora enriqueci mais minha biblioteca de conhecimentos para dar de graça o que recebi de graça.muito obrigado mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém! Glórias a Deus!

      Fico muito feliz que tenha ajudado e edificado ao irmão!

      Que Deus continue te iluminando!

      Fica na Paz do Senhor Jesus!

      Excluir
  2. Paz do Senhor bela postagem, muito boa. Republiquei no meu blog colocando a fonte. Deus continue te abençoando.
    http://luzevida123.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo pode compartilhar a vontade. Que este post leve edificação aos seus leitores como trouxe para mim.

      Fica com Deus!

      Excluir

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.