terça-feira, 29 de maio de 2012

O Espírito Santo e Sua Atuação no Mundo

E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Do pecado, porque não crêem em mim; da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; e do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado.Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora. Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar. (João 16:8-14)

Por Rute Soares

Para nós, o Espírito Santo é uma pessoa divina que atua na vida dos salvos, que age em ambientes sagrados e que se faz presente em reuniões espirituais. No entanto, essa é apenas uma parte da verdade, pois segundo a palavra de Deus, o Espírito Santo também age no mundo, sobremodo na vida dos não-salvos para conduzi-los a Cristo. Deste modo, sua ação não se limita a “jurisdição” da igreja. Ele não trabalha apenas na vida dos salvos. Não age apenas entre os santos; ele também opera no mundo, entre não santos, entre pecadores perdidos. Ao agir no mundo, o Santo Espírito tem dois objetivos principais:

Em primeiro lugar, o Espírito Santo age no mundo a fim de convencer as pessoas não-crentes. Por estarem sob o domínio do pecado (cf. Rm 6:14; Ef 2:2-3), o não-salvo não reconhece que está errado, ao contrário, procura justificar o pecado. Pois, "o deus deste século lhe cegou o entendimento" (II Co 4:4). Por isso, sem a ação do Espírito Santo é impossível o pecador chegar-se a Cristo. Para entender isso melhor, leia João, capítulo 16, versículos 8 a 11 e veja o que Jesus está falando a respeito do Espírito Santo: "Quando ele vier convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado porque não crêem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado".

A palavra-chave dessa passagem é “convencerá”. O sentido dela é de “persuadir”,ou seja,“levar a crer” ou “aceitar”. Mas essa palavra também carrega a idéia de “sentenciar”, “expor” e “reprovar”. Assim, o Espírito Santo atua para convencer os não-salvos, que sua terrível incredulidade diante de Cristo, resultará, certamente, em punição eterna. O texto começa dizendo que o Espírito Santo convence o não-crente do pecado. Que pecado? O de não crerem em Cristo (v.9), isto é, o pecado da incredulidade. Tanto a Lei de Deus, quanto a nossa consciência podem nos convencer de diversos pecados. Mas o pecado de “não crê em Cristo”, somente o Espírito Santo pode nos convencer. Esse é o pior pecado do mundo! Diz a Bíblia: "quem não crê já está julgado" ( Jo 3:18) "e, condenado" (Mc 16:16).

Em seguida o texto declara que o Espírito Santo convence o não-crente da justiça. Que justiça? A resposta está versículo 10, que diz: "Porque vou para meu Pai". Jesus disse isso, algumas horas antes de ser preso e crucificado. Ele foi tratado como um malfeitor, mas era inocente! Assim, “a justiça da qual o Espírito convence não é a justiça humana, mas a de Cristo”. Justiça essa que foi autenticada, quando ele ressuscitou e quando foi recebido pelo Pai nos céus.

Essas são as maiores evidências de que Jesus Cristo é o Cordeiro perfeito, que pagou o preço total pelos pecados. Lá no Calvário Jesus assumiu nossa condenação e tomou nosso lugar. Ali, pela graça, ele nos declarou justos diante Deus: "Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus" (II Co 5:21). Essa é justiça de Cristo!

Por fim, João 16:8 afirma que o Espírito Santo convence o não-crente do juízo. Que juízo? Jesus explica da seguinte forma no versículo 11: "Porque o príncipe deste mundo já está julgado". Na cruz, Satanás foi derrotado. “Ele já foi julgado, e o veredicto declarado”. Para ele só resta à execução da sentença quando Cristo voltar, em que será lançado no lago de fogo e enxofre (Jo 20:10). Esse será também o destino de todos que se recusarem crerem em Cristo. É desse juízo do qual o mundo deve ser convencido. Deste modo, sabemos que o Espírito de Deus também trabalha, e muito, fora da igreja, longe dos salvos, procurando convencer e chamar os perdidos. Sem essa obra, o ser humano jamais chegaria à salvação.

Em segundo lugar, o Espírito Santo age no mundo a fim de regenerar as pessoas não-crentes. No trabalho de convencer os não-salvos do pecado, da justiça e do juízo, o Espírito Santo gera arrependimento e fé dentro deles. Qual é o alvo nesse processo? O Espírito Santo deseja transformar os seus corações! Essa obra é conhecida por regeneração.

Mas o que é regeneração? É o renascimento ou novo nascimento em Cristo. Pois, se alguém está em Cristo, nova criatura é: "as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo"(II Co 5:17). Veja o que está escrito em Tito 3:5: "Não por obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo".

O pecador não pode salvar a si mesmo, já que "está morto em seus próprios delitos e pecados" (cf. Ef 2:1). É o Deus misericordioso que o salva! Diz o texto: "ele nos salvou". De que maneira? "Ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo" (Tt 3:5). Em outra tradução lemos assim: "Ele nos salvou por meio do Espírito Santo, que nos lavou, fazendo com que nascêssemos de novo e dando-nos uma nova vida" (NTLH). Aqui não fica dúvida: a regeneração é obra do Espírito Santo. É o milagre do novo nascimento. O maior milagre que pode acontecer na vida de um ser humano!

Quando ele acontece, à justificação acontece simultaneamente. Pela justificação o pecador é declarado justo; pela regeneração, ele é transformado em justo. “A justificação acontece fora de nós, no tribunal de Deus; a regeneração acontece dentro de nós, em nosso coração”. Ao regenerar o não-crente, o Espírito Santo transforma-o por completo e o torna um filho de Deus. Além de ser perdoado de todos seus pecados, o Espírito Santo passa a habitar dentro dele. É algo inexplicável! É uma ação misteriosa e gloriosa do Espírito de Deus. O próprio Jesus afirmou: "O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito" ( Jo 3:8).

Embora seja um mistério, há duas verdades nisso que podemos saber.

A primeira verdade é que todo ser humano precisa nascer de novo. Em João 3, versículos 3 e 5, lemos: "Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus (...), pois, quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus".

A segunda verdade é que o Espírito é quem regenera o ser humano! Ele vai onde o não-salvo está, lá no lamaçal e na escuridão. Ali, o convence do pecado, da justiça e do juízo e o chama para Cristo. Se o pecador atender a esse chamado, ele o transforma numa nova criatura.

Vale a pena conhecer melhor o Espírito Santo! Isso nos faz ter uma visão mais correta e clara sobre nossa missão nesse mundo. Ele não age apenas entre os salvos e santos; ele age também no mundo e, vive atuando entre os não-salvos. Está profundamente envolvido na salvação desses. Note, se o próprio Espírito de Deus, que é Santo, age assim. Então, não vemos razão para agirmos diferentes. Não fomos salvos para nos isolar dos não-salvos. Ao contrário, devemos estar no meio deles, sendo sal e luz. Somos o convidados a uma parceria espiritual no mundo. Nós evangelizamos,mas quem convence e regenera é o Espírito Santo!

Conclusão

O Espírito Santo é bem maior do que pensamos. Ele faz muito mais do que podemos ver ou entender. Age em ambientes que nunca imaginamos. Ele não é uma força ou uma energia impessoal que emana de Deus. Ele é Deus grandioso, poderoso e ilimitado! Está em nós, mas ele não age somente em nós. Age em todo o universo. É onisciente, onipotente e onipresente! O Espírito Santo fez e continua fazendo grandes feitos em todo o momento e em todos os lugares. Foi através dele que a Bíblia foi escrita. Foi no poder dele e a na unção dele que Jesus se fez carne, habitou entre nós e cumpriu a sua missão na terra. É o Espírito Santo que convence o não-crente do pecado, da justiça e de juízo. Bem antes de alguém se converter, ele já está trabalhando para levá-lo a Cristo. Todos os que atendem o seu convite, ele os regenera, os faz novas criaturas e passa a habitar neles.

Leia o Salmo 139, versos 5 a 7. Nesse poema, durante uma profunda reflexão sobre Deus, o salmista inspirado por ele, escreve essas palavras, dizendo: "Tu estás à minha frente e atrás de mim ao mesmo tempo, e me guias e abençoas com a tua mão. Saber isso é algo tão maravilhoso que eu nem consigo compreender! É impossível fugir do teu Espírito!" (Bíblia Viva).

Ao observar a grandeza do Espírito de Deus, o poeta fica intrigado com uma questão: Porque um Deus tão grandioso assim, pode se importar com alguém tão pequeno? Isso era tão magnífico, que ele não podia entender. Meu irmão, eu não sei explicar, mas o Santo Espírito também se importa contigo. Você não faz idéia o quanto ele agiu em toda sua vida para que você fosse lavado e redimido pelo sangue do Cordeiro. Você pode contar com ele! Ele habita no seu coração. Ele guia a sua vida e ilumina sua mente para você compreender a Bíblia. Porém, na obra de convencer o mundo é ele que conta com você. Propõe uma parceria: você evangeliza e ele convence e regenera. Portanto, seja cheio do Espírito do Deus! Permita que ele conduza seus passos. Viva sob a unção e poder dele.

Amém!

BIBLIOGRAFIA


DUFFIELD, Guy P. & CLEAVE, Nathaniel M. Van. Fundamentos da Teologia Pentecostal. São Paulo: Quadrangular, vol. II, 1991.
ERICKSON, Millard J. Introdução à teologia sistemática. São Paulo: Vida Nova, 1997.
GRAHAM, Billy. O Poder do Espírito Santo. São Paulo: Vida Nova, 2009.
GREEN, Michael. II Pedro e Judas, Introdução e Comentário. São Paulo: Mundo Cristão, 1983.
GRUDEM, Wayne A. Teologia Sistemática. São Paulo: Vida Nova, 1999.
HENDRIKSEN, William. Comentário do Novo Testamento: João. São Paulo: Cultura Cristã, 2004.
HORTON, Stanley M. A Doutrina do Espírito Santo no Antigo e Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 1993.
KISTEMAKER, Simon. Comentário do Novo Testamento: Epístolas de Pedro e Judas. São Paulo: Cultura Cristã, 2006.
LOPES, Hernandes Dias. Tito e Filemom: Doutrina e Vida, um binômio inseparável. São Paulo: Hagnos, 2009.
STRONG, Augustus H. Teologia Sistemática. São Paulo: Teológica, 2002.
WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico expositivo: Novo Testamento 1. Santo André, SP: Geográfica, 2006. __________. Comentário Bíblico expositivo: Novo Testamento 2. Santo André, SP: Geográfica, 2006.

4 comentários:

  1. Muitíssimo obrigado por me explicar mais e mais do E.Santo.como ele e extraordinário.ele trabalha aonde nao podemos chegar e faz a obra perfeita.que legal.sei que agora enriqueci mais minha biblioteca de conhecimentos para dar de graça o que recebi de graça.muito obrigado mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém! Glórias a Deus!

      Fico muito feliz que tenha ajudado e edificado ao irmão!

      Que Deus continue te iluminando!

      Fica na Paz do Senhor Jesus!

      Excluir
  2. Paz do Senhor bela postagem, muito boa. Republiquei no meu blog colocando a fonte. Deus continue te abençoando.
    http://luzevida123.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo pode compartilhar a vontade. Que este post leve edificação aos seus leitores como trouxe para mim.

      Fica com Deus!

      Excluir

PCamaral, Palavra de Deus, Teologia, Estudos, Evangelho, Reflexões, Bíblia Sagrada, Estudos Bíblicos, Mensagens Bíblicas

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de publicá-los ou não caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.