sábado, 14 de julho de 2012

Afinal de contas, o que é fé?

Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos. Pois foi por meio dela que os antigos receberam bom testemunho. (Hb 11:1-2)


Atualmente, falar sobre a fé certamente é muito oportuno, pois estamos vivendo um período em que muitas pessoas dizem ter fé e procuram demonstrá-la de várias maneiras. Mas que tipo de fé é essa, e em que se fundamenta? Todos os dias, pela televisão, pela internet, pelos rádios etc., somos motivados a exercitar tal fé. Mas será que conseguimos exercê-la sem primeiro compreender o que as Escrituras Sagradas, o manual da fé, nos ensinam? Portanto, mesmo vivendo num período em que a fé tem sido aguçadamente explorada, teremos, através deste estudo, uma oportunidade de aprender o que verdadeiramente é a fé e como a Bíblia nos instrui a vivê-la.

ENTENDENDO A MENSAGEM
A carta aos Hebreus começa enfatizando a supremacia e a superioridade de Cristo sobre todas as coisas e sobre toda a criação (Hb 1:3-4). Ele é a imagem exata do Deus Vivo, consistindo no alvo único de nossa fé. Nele, e somente nele, deve estar alicerçada a nossa confiança. Vamos agora analisar como a Bíblia Sagrada descreve o que verdadeiramente é a fé, quem foram seus maiores exemplos, o preço que se paga para viver pela fé e quais os benefícios e as bênçãos que a convicção em Deus nos proporciona. Sendo assim, vamos aprender sobre a fé bíblica e de que maneira podemos continuar caminhando na verdadeira fé que está baseada em Jesus Cristo.
O verdadeiro significado da fé: Muitos, atualmente, acabam achando que a fé é uma crença no abstrato ou numa força interior (força do pensamento), mas, para os evangelistas, para o Apóstolo Paulo e também para o autor de Hebreus, o centro da fé é Jesus Cristo (Jo 20:31; Rm 3:22, 10:17). As Escrituras Sagradas descrevem a fé como: ... a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos (v.1). A fé é um dos pontos fundamentais para o relacionamento com o criador. Na carta aos Hebreus, no capítulo 11, observamos que o termo utilizado para definir a palavra fé (pistis) está relacionado à confiança num Deus cujo caráter demonstra quem ele realmente é. O termo “certeza”, do grego hupostasis, diz respeito àquilo que se encontra sob uma fundamentação ou base, dando a certeza da realização. [1]
Nossa expectativa não é em algo incerto, mas naquele que cumpre o que diz e cuja palavra não volta atrás. Consequentemente, enquanto aguardamos algo de Deus, temos a confiança de que podemos aguardar tranquilamente, sem temor. Portanto, a Bíblia ensina que a fé não é simplesmente um pensamento positivo. Também não é crer numa força mística e impessoal que influencia o ser humano. Pelo contrário, a fé é racional, já que acreditamos na revelação divina que está descrita nas Sagradas Escrituras. A verdadeira fé bíblica é a “convicção interior fundamentada na Palavra do Senhor” (Rm 10:17). [2] Atualmente, muitas são as pessoas que afirmam ter fé, mas a verdadeira fé consiste em crer no que o próprio Espírito Santo registrou em sua palavra, por intermédio de homens santos, que foram instrumentos de Deus neste mundo. Tais homens, apesar de todos os sofrimentos e dificuldades que enfrentaram, confiaram plenamente no que ainda não viam, demonstrando uma convicção em Jesus Cristo que não dependia das circunstâncias.
Ainda nesses versículos, a fé é apresentada como a prova das coisas que nós não vemos. Sobre essa afirmação, podemos até mesmo estar nos perguntando: Como crer no que não está ao alcance de nossos olhos? A resposta a essa pergunta é um dos objetivos principais do escritor de Hebreus: quando acreditamos na palavra de Deus, nós nos sentimos motivados por ela, a ponto de confiarmos plenamente que aquilo que ainda não contemplamos vai acontecer. Assim sendo, a fé é a crença na fiel palavra de Deus, pela qual o “crente é convencido de que as coisas que ele não pode ver são reais”. [3]
Exemplos de fé na prática: Em galerias de arte espalhadas pelo país e pelo mundo, podemos observar retratos e obras de homens que se tornaram importantes do ponto de vista da escultura e da pintura, como, por exemplo, Monet e Di Cavalcanti. Tais homens são referências no campo das artes. No capítulo 11 da carta de Hebreus, também temos homens que se tornaram referências, não por seus feitos ou por seus dotes artísticos, mas por sua vida de fé no Deus criador, que, por meio de sua palavra, criou os céus e a terra e tudo que neles há (Gn 1:1; 2:1). Sendo assim, esses homens entenderam e creram que o próprio Deus havia criado do nada todas as coisas, trazendo à existência, através de sua palavra, todo o universo.
Dentre esses homens, podemos citar o exemplo de Abel, que ofereceu a Deus um sacrifício superior ao de Caim. Pela fé ele foi reconhecido como justo, quando Deus aprovou as suas ofertas (Hb 11:4). A Bíblia não especifica de que forma a oferta de Abel foi superior à de seu irmão; o que ela deixa claro é que sua fé, ao oferecer o sacrifício, tornou-o justo diante de Deus. Seu testemunho de fé foi tão significativo que fala a cada um de nós, ainda hoje. O que dizer, então, de Enoque? Ele viveu numa civilização que se desenvolvia do ponto de vista material, mas que estava perdendo sua perspectiva espiritual de eternidade. Esse homem exerceu uma fé tão íntima com o criador que o agradou. Somente um homem com tamanha fé recebeu testemunho como o de Hb 11: 5: Pela fé Enoque foi arrebatado, de modo que não experimentou a morte; (...) pois antes de ser arrebatado recebeu testemunho de que tinha agradado a Deus.
Outro grande exemplo a ser destacado é o de Abraão. Ele creu no Senhor e foi justificado por meio de sua fé, que teve uma característica muito peculiar: resultou em renúncia e obediência a Deus. Sua convicção era tão grande que ele saiu da sua terra natal (Ur dos caldeus) e, como peregrino, caminhou pela Terra Prometida como se estivesse em terra estranha (Hb 11:9). Da mesma forma, ele creu no cumprimento da promessa de que seria o pai de uma grande nação (Gn 15:5,6). Por tudo isso, Abraão é considerado o pai da fé (Rm 4:11). Poderíamos citar ainda vários homens e mulheres, como Noé, Jacó, Moisés, Davi, Raabe, Paulo. Todos eles entraram para a galeria dos heróis da fé, pois creram, incondicionalmente, nas promessas do Senhor.
As bênçãos provenientes da fé: A Bíblia afirma que todos aqueles que creem no Senhor desfrutam de suas bênçãos. Uma dessas bênçãos é a aprovação: Pois foi por meio dela que os antigos receberam bom testemunho (Hb 11: 2). Essa aprovação não é proveniente do esforço humano, mas é concedida por Deus, mediante a concreta certeza em sua palavra e em suas promessas. Os antigos receberam essa aprovação por confiarem no Senhor de uma forma sincera. Todos eles tiveram sua vida e seu ministério aprovados por Deus. Dessa maneira, puderam dar bom testemunho de sua fé a todos os homens. Os seus nomes foram gravados na história do povo de Deus, não por feitos poderosos, mas por sua fé alicerçada unicamente no autor e consumador da fé.
Outra bênção relacionada à fé é o entendimento: Pela fé entendemos que o universo foi formado pela Palavra de Deus, de modo que aquilo se vê não foi feito do que é visível (Hb 11:3). Ainda que a ciência esteja avançando a passos largos, trazendo consigo uma geração que precisa ver (ou provar) para crer, a fé bíblica está relacionada ao conhecimento e ao uso da própria razão humana. Portanto, quando as Escrituras Sagradas afirmam que, pela fé, entendemos, quer demonstrar que os antigos creram que o universo fora criado por meio da palavra de Deus. Esse aspecto corrobora a racionalidade da fé, e não sua irracionalidade, como vários cientistas afirmam. Do nada, o nosso Deus foi capaz de criar todas as coisas, utilizando somente sua palavra. Portanto, crer é também pensar.
Ainda relacionado às bênçãos provenientes da fé, a Bíblia enfatiza que a melhor maneira de agradar ao Senhor é crer nele. Hb 11:6 diz: Sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam. Vivemos num período em que muitas pessoas querem se relacionar com Deus e desfrutar de suas bênçãos, sem, no entanto, conseguir agradá-lo. A maneira bíblica de agradar ao Senhor é crer na sua palavra e obedecer-lhe. Desta maneira, teremos proximidade com Jesus Cristo. Que, assim como os heróis da fé, agrademos a Deus com a nossa fé e a nossa obediência a ele.
Quais são os custos da fé? Para muitas pessoas, o conceito de fé está relacionado a alcançar somente vitórias e nunca derrotas. Mas a fé também tem o seu custo. É verdade que muitos homens fiéis a Deus derrotaram exércitos, foram milagrosamente curados, enfrentaram fornalhas ardentes; mas tantos outros sofreram escárnios, privações, torturas e até mesmo prisões; porém, suportaram as adversidades e em nenhum momento se afastaram de Deus. Tais homens viveram pela fé porque sabiam que conquistar o mundo e conseguir o sucesso não era um objetivo importante. Eles aguardavam uma vida superior, que somente Deus poderia proporcionar. Podemos citar o exemplo de João Batista, que foi decapitado por dizer a verdade. E o apóstolo Paulo? Em sua segunda carta aos Coríntios, no capítulo 11, ele enumera todas as dificuldades (que não foram poucas) pelas quais passou, por causa de sua fé em Cristo Jesus.
Muitos homens e mulheres de fé não foram libertos de situações adversas; no entanto, Deus contemplou a fé de cada um. Assim como Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, devemos crer e obedecer a ele, mesmo que não sejamos libertos (Dn 3:16-18). O testemunho desses jovens nos dá uma lição de fé: mesmo que a nossa vida esteja em risco, mesmo que a doença nos assole; mesmo que o desemprego bata à nossa porta, mesmo que a crise se apresente diante de nossa família, ainda assim exultaremos no Senhor e nos alegraremos no Deus da nossa salvação (Hc 3: 18), pois por essa causa, também sofremos, mas não nos envergonhamos, por sabermos em quem temos crido e estamos certos de que ele é poderoso para guardar o que lhe confiamos, até aquele dia (2 Tm 1:12).
Em muitos casos, o ser humano busca um reconhecimento na terra. Entretanto, o que a palavra de Deus menciona, em Hb 11:38, é que o mundo não era digno desses heróis da fé. Dessa forma, podemos concluir que, quando servimos a Deus com fé sincera e verdadeira, mesmo que não vejamos todas as promessas divinas cumpridas, devemos estar convictos de que aquele que prometeu é fiel para completar toda a boa obra (Fp 1: 6), pois o que está prometido e garantido é uma cidadania celestial. Sendo assim, suportemos com fé os sofrimentos da vida presente, na certeza de que, em Cristo, somos mais, muito mais do que vencedores.
APLICANDO A PALAVRA DE DEUS EM NOSSA VIDA
Creia: a fé em Deus é abençoadora - No decorrer desta estudo, pudemos aprender que muitas bênçãos são alcançadas por causa da fé. A Bíblia Aplicação Pessoal diz que o ponto inicial da fé é crer no caráter de Deus: ele é quem diz ser. O ponto final é crer nas promessas de Deus: ele fará o que diz. [4] Quando temos essa fé, somos abençoados: recebemos aprovação, entendimento e agradamos a Deus. São bênçãos, sobretudo, espirituais. Para isso, devemos estar empenhados em crer na palavra de Deus como nosso alicerce e em buscar andar com Deus, como Enoque andou. Portanto, agora que sabemos que a verdadeira fé nos proporciona bênçãos, peçamos ao Senhor da nossa vida que acrescente-nos a fé, sempre. Por meio de sua palavra, creiamos cada vez mais em quem Deus é e no que ele pode fazer.
Siga: a fé em Deus é sustentadora - Ter uma fé verdadeira em Deus não é garantia de uma vida sem problemas. Hebreus 11 que o diga! O autor mostra como alguns servos de Deus sofreram pela fé. Para que os custos da fé não nos afastem do alvo maior, é imprescindível sabermos que viver pela fé é também confiar na fidelidade do Senhor. Podemos enfrentar as circunstâncias e situações mais adversas que esta vida terrena possa nos proporcionar, mas devemos estar bem certos de que aquele que nos alistou é fiel para nos conduzir em triunfo: Mas alegrem-se à medida que participam dos sofrimentos de Cristo, para que também, quando a sua glória for revelada, vocês exultem com grande alegria (1 Pd 4:12-13). Que permaneçamos pacientes, até a vinda de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A fé sempre “é testada; às vezes, parece que é insensatez crer em Deus, mas, no fim, a fé sempre vence”. [5]
CONCLUSÃO
O presente estudo mostrou vários aspectos do que realmente é a fé e o que ela representa para aquele que serve a Jesus Cristo como Senhor, autor e consumador da fé (Hb 12:2): seu conceito, o exemplo de alguns heróis que viveram pela fé, além das bênçãos e dos custos que a ela estão relacionados. Compreender e praticar todos esses princípios deve ser o alvo de cada um de nós. Que, nesta geração pós-moderna, pluralista, consumista e relativista, nós, igreja e corpo de Cristo, possamos marcar o nosso tempo como homens, mulheres, jovens e crianças que confiam de todo coração e entendimento em Deus e em suas maravilhosas promessas.
Que Deus nos ajude sempre!

Bibliografia:
1. UNGER, Merril Frederick. Manual Bíblico Unger. São Paulo: Vida Nova, 2006. Pág. 624
2. WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico Wiersbe: Novo Testamento. Santo André: Geográfica, 2009. Pág. 754
3. KISTEMAKER, Simon. Comentário do Novo Testamento: Hebreus. São Paulo: Cultura Cristã, 2003. Pág. 436
4. BEERS, Ronald A. (Ed. Geral). Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 2004. Pág. 1744
5. WIERSBE, Warren W. Comentário Bíblico Wiersbe: Novo Testamento. Santo André: Geográfica, 2009. Pág. 756

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PCamaral, Palavra de Deus, Teologia, Estudos, Evangelho, Reflexões, Bíblia Sagrada, Estudos Bíblicos, Mensagens Bíblicas

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de publicá-los ou não caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.