sábado, 28 de julho de 2012

Amor à Maneira de Deus

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna.” (Jo 3:16).

Por Andrei Soares

É muito fácil amarmos aqueles que nos amam. Jesus diz em Mt 5.46 (Al.Séc. 21): “Pois se amardes quem vos ama, que recompensa tereis? Os publicanos [coletores de impostos] não fazem o mesmo?”. Pois é, que vantagem temos de amar os que nos consideram. Você já parou para pensar nisso? Agora pense, além de amar seus inimigos, você abrindo mão do que tem de mais valioso. Por exemplo, você tem um único filho. Você daria?

Antes de responder, vamos fazer algumas considerações: Imagine você tendo que dar seu filho pelo: Adolf Hitler, Osama Bin Laden, Fernandinho Beira-mar, Suzane Von Ritrhstophen ou pelos políticos de Brasília. Qual seria a sua reação? Para dar um filho, por eles, bem como, por todo o mundo, tem que amar muito, sem julgar essas pessoas, pois todos somos maus. Porém, sabemos que alguém já fez isso. Um Pai que decidiu espontaneamente, dar Seu Filho por amor, a nós pecadores. Seja você, mãe, pai ou filho. Veremos algumas verdades sobre o Amor de Deus.

Como ponto de partida, em João 3.16, encontramos que “Deus ama de maneira abrangente”. O texto diz: “Porque Deus amou o mundo...”. Em Sua conversa com Nicodemos, um dos principais dos judeus (João 3.1), sobre novo nascimento, Jesus fala que o amor de Deus é abrangente. Este amor não é dado só para os judeus, mas para todo o mundo.

Como foi a reação daquele homem, ouvindo da boca do Messias, que o Deus de Israel ama todo o mundo? Que Deus ama todas as pessoas, de todos os continentes, povos, línguas e nações. Ele não faz acepção de pessoas (Deuteronômio 10.17, Romanos 2.11). Ele ama a todos mesmo! No versículo 17 do capítulo 3 de João, Jesus fala um pouco da missão que Ele executaria: “porquanto Deus enviou seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.”.

Este mundo envolto em trevas seria o “cenário” e a cruz o “palco” em que Deus derramaria Seu amor. Cristo então se entrega pela humanidade, como nos diz Filipenses 2.6-8 (AS21): “...Existindo em forma de Deus não considerou o fato de ser igual a Deus algo a que se devesse apegar, mas pelo contrário, esvaziou a si mesmo, assumindo a forma de servo e fazendo-se semelhante aos homens. Assim, na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz”. Tudo isso para resgatar o homem do pecado.

Você pode ver que Deus ama a todas as pessoas. Você João, Maria, Fernando, todos nós que estamos aqui, todo o mundo. Para Deus não tem faixa social, não tem etnia melhor, não há mais feio ou mais bonito. Todos são iguais. Todos estão destinados à morte. Todos precisam de Jesus, o Salvador.

Em I João 4.8b, encontramos escrito que: "Deus é amor”. E este amor é "globalizado". Desde o Antigo Testamento vemos Deus amando a todos. Sempre se relacionando com a humanidade através da nação de Israel. Você pode ainda não fazer parte desta igreja, mas Deus sempre te amou! O amor falado em João 3.16 é presente continuo. Ele amou e ama! Ele não perdeu esse sentimento por você, nem pelo mundo.

Deus não é como nós que muitas vezes amamos só algumas pessoas, que temos nossos grupinhos. Ele não exclui a ninguém, por isso em I João 4.7, somos exortados a amarmos um aos outros: "Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus.". Temos que amar de a maneira abrangente, assim como o Pai nos ama!

Continuando a leitura de João 3:16 lemos: “...de tal maneira...”, percebemos então, outra verdade da maneira como O Pai nos ama: “Deus ama de maneira especial”. A conversa de Jesus com Nicodemos é bastante reveladora, depois de dizer que Deus amou todo o mundo, Ele agora diz a intensidade desse amor. Não foi de qualquer forma que Deus amou o homem, não foi de qualquer jeito, foi de uma maneira especial!

Deus teve e tem este sentimento embora sejamos maus. O Apóstolo Paulo fala da situação em que estávamos quando Deus nos amou. Em Romanos 5.8 lemos: "Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós ainda sendo pecadores.". O Apóstolo vai mais afundo, em Efésios 2.5: "E estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, - pela graça sois salvos,”.

Você pode perceber que Deus nos ama mesmo vivendo uma vida inútil, sem o Senhor Jesus como Senhor de nossas vidas. O fato de Deus ter dado Jesus quando nós estávamos-mos no pecado, revela essa maneira toda especial de amar. Ela não depende do que fazemos, mas única e exclusivamente do desejo de Deus de amar as pessoas.

Muitas vezes precisamos receber algo em troca para amarmos de forma especial. Mas temos que aprender com Deus, que independentemente do que ganhamos devemos amar, pois isto é agradável à Deus. Você que não tem Cristo, reconheça que precisa de um amor especial. De alguém que lhe compreenda, que lhe escute, que te mude. Deus é especialista em transformar. Por isso Ele nos ama de uma maneira toda especial. Você que não tem Jesus, está morta ou morto espiritualmente, como diz Paulo. Quer viver? Aceite Jesus! Se você se humilhar diante de Cristo, mostrando que é pecador e precisa de sua graça, receberá dele o seu perdão. Aceite o especial amor de Deus.

Prosseguindo na leitura de João 3:16, aprendemos que “Deus ama de maneira sacrificial”. Isso é confirmado pelo trecho que diz: “... que deu seu Filho unigênito...”. Voltamos a lembrar de que Jesus está conversando com Nicodemos. A conversa culmina naquilo que Deus ofertou: A vida do Seu próprio Filho, Jesus Cristo. E não poderia ter oferta, presente melhor que o Seu único Filho na cruz. Deus amou dando o seu melhor. Deus ama de maneira especial, e isso o leva a dar Jesus como nosso salvador. Em I João 2.2 diz que: “... ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro.", Cristo é o sacrifício que afasta a ira divina (AS 21).

O Pai ofertando o próprio Filho para dar salvação ao mundo. O Filho morrendo a nossa morte. Ele é o ápice, o ponto central, do amor de Deus. Em Cristo Deus faz a maior demonstração de amor para com o homem. E isto na Cruz. Ele, Cristo Jesus, é o resgate para que o homem voltasse a Deus. Em Mateus 20.28 lê-se: “Tal como o Filho do Homem, não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos.”.

Qual a sua reação diante de tão grande sacrifício? Deus sendo infinito, deu Seu único Filho para que você tenha uma nova vida (Rm 8.1). Cristo é o cordeiro morto desde a fundação do mundo. Ele é o sacrifício que nos liberta da penalidade, da condenação do pecado, como diz Jo 1.29b: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. João continua falando no capítulo 3 do sacrifício do Filho, versículo 18: “Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus”.

Que você, que está lendo este artigo neste momento, possa aceitar o sacrifício do Filho, pois, como diz Atos 4.12: “E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos”. Aceite sacrificial amor de Deus por você!

João 3.16 encerra dizendo: “... para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna.”. a última verdade que entramos é a seguinte: “ Deus ama de maneira recompensadora”. Jesus Cristo em uma conversa profunda sobre as coisas de Deus, falando que o Amor de Deus é abrangente, foi dado de forma especial, ressalta que este amor dá ao homem vida eterna.

Jesus em Sua conversa com Nicodemos, ressalta que é preciso nascer de novo para se ver o Reino de Deus (João 3.3, 5). Cristo não estava dizendo que se deveria voltar para o ventre materno, isso era o pensamento de Nicodemos (v. 4). Cristo estava falando que esse novo nascimento era da água e do Espírito (v.5). Isso é a nova vida implantada pelo Espírito Santo na vida do que acredita em Cristo Jesus.

Por isso o Senhor disse a Nicodemos em Jo 3.7: “Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo”. Em outras palavras o Senhor dos senhores estava dizendo, que se Nicodemos quisesse viver eternamente, ele precisava ter uma experiência de profunda transformação com Deus. Sua vida precisava ser transformada radicalmente. Essa nova vida não começa só na volta de Jesus, mas numa transformação de atitudes que mostram que este que teve fé no Filho de Deus já faz parte do Seu Reino.

Hoje você tem a oportunidade de ser transformada ou transformado radicalmente. E mediante esse arrependimento e conversão, você nascerá da água e do Espírito. Assim, com esta nova vida produzida pelo Espírito Santo, você poderá entrar no Reino de Deus. A fé que é depositada no Filho através da Palavra (Rm 10.17), produz vida eterna. Quem crê no Filho tem a vida eterna: “Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida” (1 Jo 5.12).

Este conhecimento de Deus mostra a vida eterna para você. Jesus tem autoridade para te dar uma vida que vai além desta, uma vida na eternidade com Ele. E é isso que lemos em João 17.2-3: “Assim como lhe conferiste autoridade sobre toda a carne, a fim de que ele conceda a vida eterna a todos os que lhe deste. E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.”. Quem crê em Jesus, jamais será confundido (Rm 9.33). Por isso, Deus amou para dar vida eterna. Deposite sua fé no salvador, se renda a Ele, e isso para que tenha a vida eterna. Você quer ter vida? Aceite o Filho! Você quer ir morar no céu? Aceite o Filho!

Pense nisso: Um Pai dando o Seu único Filho. Imagine o amor do Filho a se propor morrer por nós. Tudo foi por amor, nada foi feito forçadamente. Hebreus 10.5-7 diz desta voluntariedade para salvar o homem, o próprio Cristo diz: “Por isso, ao entrar no mundo, diz: Sacrifício e oferta não quiseste; antes, um corpo me formaste; não te deleitaste com holocaustos e ofertas pelo pecado. Então, eu disse: Eis aqui estou (no rolo do livro está escrito a meu respeito), para fazer, ó Deus a tua vontade.”. Foi-nos revelado pela Palavra de Deus um projeto de amor para salvar a humanidade. Algo feito de forma especial para que você possa viver eternamente com Ele.

Ele morreu para nos justificar diante de Deus, para tirar a penalidade do pecado: “Justificados, pois mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo;” (Romanos 5.1). E quando cremos, estamos mortos junto com Ele, quando este esteve na cruz. Romanos 6.7-8 confirma: “Porquanto quem morreu está justificado do pecado. Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos”.

Esta graça de ser justificados por meio de Cristo nos capacita a fazer a vontade de Deus, a andar em santidade. Veja Romanos 6.22: “Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna”. O fim de tudo isso é a glorificação, é o encontro com o Senhor no céu. A vida eterna.

O Espírito Santo te convida a se render a Cristo, abandonar seus pecados, e viver de forma agradável diante de Deus, “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha vida eterna.”.


Fonte: Sou da Promessa compartilhado no PCamaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PCamaral, Palavra de Deus, Teologia, Estudos, Evangelho, Reflexões, Bíblia Sagrada, Estudos Bíblicos, Mensagens Bíblicas

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de publicá-los ou não caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.