quarta-feira, 11 de julho de 2012

É possível viver longe da Teologia da Prosperidade

E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade. E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita. (2 Pedro 2:1-3)

Publicado originalmente em Noticia Cristiana

Por Mauricio Zágari


Sim, é possível viver longe da Teologia da Prosperidade. Recebi de meu irmão de sangue, que mora na Espanha, uma informação publicada no website www.noticiacristiana.com. Não sei se já foi reproduzido em alguma mídia brasileira, mas considero o fato tão relevante que decidi repassar aqui a informação. E por essa simples razão: mostra que é possível a Igreja se unir para repudiar uma heresia. Ocorre que os evangélicos franceses concordaram em repudiar e se afastar da Teologia da Prosperidade. O Conselho Nacional de Evangélicos na França (CNEF), elaborou um documento para remover a Teologia da Prosperidade das igrejas francesas, praga que há cerca de cinco décadas nasceu nos Estados Unidos e se espalhou pelo mundo. O CNEF funciona como um órgão interdenominacional cuja função é regular a doutrina do mundo evangélico no país.

Formada por teólogos de diferentes denominações (que vão de batistas a pentecostais), a organização emitiu um estatuto de 30 páginas em que conclui biblicamente que essa Teologia não é cristã e que o fiel que deseja seguir a Bíblia deve abandoná-la. Mais do que isso: o Conselho incentiva essa atitude explicando aos membros das igrejas as razões pelas quais é necessário remover a Teologia da Prosperidade do meio cristão.

Pelo documento, o primeiro erro dessa heresia é estabelecer uma relação entre salvação e prosperidade física e material (saúde e riqueza). “A salvação está ligada ao coração”, explica o pastor batista e membro do CNEF Thierry Huser. “A salvação remete principalmente ao relacionamento do pecador com Deus e à reconciliação com Ele através de Cristo”, acrescenta.

Thierry também fala de outros erros teológicos dessa doutrina antibíblica, como a Confissão Positiva: “A ênfase no poder da palavra declarada pode levar à ‘fé na fé’ em vez de ‘fé em Deus’.”, explica. Em seu documento, o CNEF condena também o jugo imposto por igrejas adeptas da Teologia da Prosperidade sobre seus membros, ao afirmar aos fiéis que eles não recebem o que querem porque não têm fé. “Os profetas da prosperidade se protegem de todos os que questionam as suas promessas. Em vez disso, todo o peso de qualquer falha é atribuído aos fiéis que sipostamente não esperaram, não oraram, não doaram”, enfatiza o texto.

Outro ponto de destaque no documento é acerca dos muitos erros dessa linha de pensamento teológico: Jesus jamais associou sucesso material à adoração e muito menos à salvação. Ao final, o Conselho Nacional de Evangélicos na França deixou claro que não enxerga base bíblica para a Teologia da Prosperidade, que a considera antibíblica, anticristã e, portanto, uma heresia.

Quem diria que a Igreja evangélica brasileira teria algo a aprender com a francesa… A grande lição? É possível combater heresias que aparentemente já se instalaram de forma cristã, argumentativa e bíblica, sem ofensas a pessoas, mas sim a ideias e conceitos. Temos muito a aprender.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

Fonte: Apenas compartilhjado no PCamaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PCamaral, Palavra de Deus, Teologia, Estudos, Evangelho, Reflexões, Bíblia Sagrada, Estudos Bíblicos, Mensagens Bíblicas

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de publicá-los ou não caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.