quarta-feira, 11 de julho de 2012

Eu, Sal da Terra?

Bom é o sal; mas, se o sal se tornar insípido, com que o temperareis? Tende sal em vós mesmos, e paz uns com os outros. (Marcos 9:50)

Era um dia como outro qualquer. Talvez corresse os boatos, na importante, soberba e próspera Cafarnaum, que em suas redondezas (Lc 7:1) um mestre sem diplomas ensinava multidões e as impactava com seu ensino. Assentado em um monte, como grandes educadores costumavam fazer, Jesus começou a proferir o que hoje chamamos de Sermão do Monte, um dos mais famosos ensinos o Mestre (Mt 5:1-2). Não é fácil de ser entendido. É radical, revolucionário, provocativo, simples, profundo…

É nesse sermão que Jesus afirma àquele numeroso grupo de discípulos: Vós sois o sal da terra (Mt 5:13). Eles devem ter ficado um pouco surpresos com a afirmação. Não por desconhecerem a importância do sal, que era comum e de grande valor na experiência deles, mas porque no versículo onze Jesus descreveu a atitude do mundo com relação aos seus discípulos. Na última, das bem-aventuranças proferidas por Jesus, eles ouviram que seriam perseguidos, injuriados, difamados… Veja o texto: Bem aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo disserem todo o mal contra vós por minha causa. Essa bem-aventurança serve de transição para o que Ele vai dizer logo na seqüência. No versículo treze Jesus descreve a atitude dos discípulos em relação ao mundo: Vós sois o sal terra… Esse versículo é o inverso do versículo onze. É a resposta dos seguidores de Cristo àqueles que os perseguem. Isso sim, deve ter causado surpresa!

E quanto a nós, discípulos de Cristo do século XXI, cercados de todos os lados de propostas de um mundo atolado em pecado? O mundo continua a nos perseguir! A sociedade continua corrompida. O discípulo de Cristo de todos os lados é bombardeado com ofertas mentirosas de felicidade. Por isso e muito mais, o ensino de Jesus é atual, é para nós. Você e eu devemos ser sal da terra! Mas como assim, eu, sal da terra? Essa metáfora é rica em significados. Vejamos alguns.

O sal tem um valor significativo, vem de tempos imemoriais. Os soldados romanos, por exemplo, eram pagos com sal. Se algum deles não realizasse bem o seu trabalho, dizia-se que “não valia o seu sal”. Em todas as sociedades antigas o sal era tido como sinal de amizade. O que prevalece entre nós. Quem nunca ouviu dizer que pra conhecer bem uma pessoa “é preciso comer um quilo de sal junto com ela”. É bom sabermos disso, para entender que Jesus não nos comparou com algo sem nenhum valor. O sal tem seu valor! O discípulo de Cristo, mesmo que difamado, insultado, perseguido pelo mundo, têm grande valor para seu Senhor!

O sal tem uma função importante. Ele era usado para preservação de alimentos. Ele combate a deterioração. Ali mesmo em Cafarnaum, cidade que ficava aos arredores do local onde Jesus proferiu esse ensinamento, tinha um grande comércio de peixes que eram enviados para o exterior. Antes disso, porém, eram salgados para serem preservados no caminho. Essa é nossa função, preservar a massa da humanidade da total corrupção moral e ruína espiritual. Nós que tivemos a nossa vida transformada precisamos influenciar vidas! Que com nosso testemunho e com nossa vida possamos dar a sabor a esse mundo que pouco a pouco está deteriorando.

O sal age discretamente. Sabemos que ele combate a deterioração, que sua influência é muito real, embora não possamos vê-lo fazendo isso. Da mesma forma devemos proceder. O verdadeiro discípulo de Cristo sabe que o mundo está apodrecendo, faz sua parte e não procura holofotes, não é orgulhoso, não gosta de ver seu nome em evidência. Como o sal. Você sabe que uma carne, por exemplo, é preservada com o sal, mas não dá pra ver o sal realizando a tarefa. O processo é secreto.

O sal cria sede. Essa talvez seja o seu mais importante trabalho. Sem sal na comida, a ingestão de líquido fica prejudicada. Por isso na época de Jesus, os viajantes levavam um saco de sal em suas bagagens para prevenir a desidratação. O sal desperta a sede! Essa é a função do discípulo de Cristo, provocar sede dele na vida daqueles que morrem desidratados por não conhecerem a fonte da água da vida! Desperte a sede de Jesus no mundo!

Vós sois, disse Jesus. Ou seja, isso já era um fato a respeito dos discípulos de Cristo. Como já é para nós também. Nós somos o sal da terra! Temos duas opções, agir como tal ou ignoramos o ensino de Jesus. Ignorando porém, nos tornaremos insípidos, que para nada mais serve senão para ser lançado fora e pisado pelos homens (Mt 5:13).

Fonte: Fumap via Sou da Promessa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.