segunda-feira, 13 de agosto de 2012

De que Está cheio o Nosso Coração?

E eles serão o meu povo, e eu lhes serei o seu Deus; e lhes darei um mesmo coração, e um só caminho, para que me temam todos os dias, para seu bem, e o bem de seus filhos, depois deles. E farei com eles uma aliança eterna de não me desviar de fazer-lhes o bem; e porei o meu temor nos seus corações, para que nunca se apartem de mim. (Jeremias 32:38-40)

Por PCamaral


"Não se pode encher um copo que já está cheio" – a frase ilustra um diálogo do filme Avatar. O filme, por sinal, sucesso de bilheteria, foi visto por milhões de pessoas no mundo inteiro. A frase, dita por Mo’at (Carol Christine Hilaria Pounder), responde uma pergunta feita pelo intruso Jake Sully (Sam Worthington). Mo’at é rainha e líder espiritual do clã Omaticaya do povo Navi que habita o planeta Pandora. Apesar de estar inserida em um contexto de ficção cientifica, traz consigo uma verdade espiritual de que "não se pode encher algo que já está cheio pois não há espaço para mais nada"; e podemos, facilmente, utiliza-la no contexto do coração do homem.

A Bíblia nos diz que “o coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. (...)” (Jeremias 17:9). Esta é a natureza do coração do homem. Nosso coração é inclinado para o pecado desde que nascemos e está cheio de malícia e engano. Com um coração assim é muito fácil esquecer-se de Deus. Por outro lado é muito difícil mas, podemos optar se queremos, ou não continuar pecando. Podemos ceder a uma tentação ou, podemos pedir a Deus que nos ajude a resistir.

A questão é: Do que está cheio o nosso coração, sejamos nós crentes ou não crentes? Será de orgulho, de soberba, de arrogância ou outras mais paixões carnais? Se assim o for, jamais haverá lugar para o amor de Deus que é oferecido pela mensagem do evangelho de Jesus Cristo. Será necessário, primeiro, ser esvaziado, para só assim, dar lugar a esta outra medida, a medida do amor que excede todo o entendimento, o amor de Deus.

Mas isto não é uma coisa simples de ser feita. E também não pode ser feito pelo homem, “é dom, de Deus”,(Efésios 2:9) ou seja, é um “presente” de Deus. É a graça! A misericórdia! O homem por si só não consegue fazer. Não tem forças. Não tem méritos. Não conseguirá fazê-lo por conta própria, por obras. Deus assim decidiu para que ninguém possa gloriar-se diante d’Ele. O homem é totalmente dominado por seu coração corrupto e cheio de perversidade e, é incapaz de se reconciliar com Deus.

Para que o amor de Deus penetre esse coração, cheio de pecado e, duro de entendimento, é necessário que Deus intervenha e quebre a dureza, quebre o orgulho, quebre a vaidade, quebre a soberba, quebre as paixões e esvazie esse coração. Somente assim, vazio, o amor de Deus é derramado e o coração se enche de amor. Amor por Deus e pelo próximo.

Agora, com o coração cheio do amor de Deus, a frase de Mo’at mantém o sentido, mudando apenas a condição do homem. Agora não está mais cheio do pecado, que vorazmente o devora, agora está cheio do amor de Deus que é derramado, sem medida, neste coração. Não se pode encher um copo [coração] que já está cheio do amor de Deus. Não há mais lugar para o pecado. Somos novas criaturas: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” (2 Coríntios 5:17)

Se o nosso coração estiver cheio desse amor não haverá mais espaço para os prazeres mundanos, eles não nos atraem mais, não tem mais poder, agora sou de Cristo, vivo por Cristo e Cristo vive em mim. Agora está ocupado pelo sangue do Senhor Jesus que nos purificou de todo pecado, nos justificou, nos reconciliou, nos salvou e nos deu a vida eterna.

Me dirijo agora as pessoas que não são crentes em Jesus Cristo. Só existe um nome pelo qual importa que sejamos salvos da ira de Deus, e este nome é Jesus Cristo. Não há outro nome, nem no céu, nem na terra nem debaixo da terra. Apenas Jesus Cristo é o autor e consumador de nossa fé. Por Ele, e somente por Ele foram criadas todas as coisas, no céu na terra e debaixo da terra e sem Ele nada do que foi feito se fez.

Então olhe para Ele, pois Ele está lhe chamando. Só Ele pode mudar seu coração. Ele vai retirar tudo aquilo que o impede de amar a Deus. Vai transformar o coração de pedra em um coração de carne, restaurando assim sua vida e sua comunhão com o Senhor. Creia nisto! Creia em Jesus Cristo e serás salvo.

Para os que já são crentes em Jesus Cristo, que agora possuem um coração conforme o coração de Deus não há mais espaço para as velhas coisas. As coisas velhas já passaram tudo se fez novo. Continue olhando para Cristo. Continue no caminho ensinado por Jesus, não se desvie nem para a direita nem para a esquerda. E dia a pós dia prossiga em conhecer e saber quem é o Senhor. Lembre-se, seu coração agora está cheio do amor de Deus.

Existem corações que estão cheios de perversidade, mas para estes existe a justificativa de que não conhecem o amor de Deus, por isso praticam obras abomináveis aos olhos do Senhor. Pior do que isto são corações que se dizem cheios do amor de Deus e mesmo assim continuam a praticar obras terríveis, se deixando levar por seus antigos desejos carnais.

De que está cheio o seu coração? Se não for do amor de Deus apresse-se e olhe para o Senhor Jesus. Ele é o nosso restaurador. Esta obra maravilhosa só Ele pode realizar. Ele vai quebrar, esmiuçar, jogar tudo de ruim fora, para depois restaurar, um novo coração, e ocupará todo o espaço vazio em nosso peito e nos dará a vida eterna.

De uma forma ou de outra, não se pode encher um copo que já está cheio. Por favor, encha seu copo (coração) do amor do Senhor Jesus.

Que Deus nos ajude sempre!


Um comentário:

  1. É condição vital termos nosso copo cheioe das coisas de Deus, disse "condição vital" pois só Ele nos dá vida em abundância, portanto se deixarmos nosso copo se encher com água suja...teremos uma vida de enganações e falsas felicidades.

    ResponderExcluir

PCamaral, Palavra de Deus, Teologia, Estudos, Evangelho, Reflexões, Bíblia Sagrada, Estudos Bíblicos, Mensagens Bíblicas

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de publicá-los ou não caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.