quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Pastores sem Decoração

Por Edmilson Mendes

Você já deve ter visitado o stand de vendas de alguma construtora. Lá, tudo é lindo. Quando chegamos somos recebidos com cortesia, sorriso e oferta de uma água e cafezinho. Depois de tudo explicado somos convidados a conhecer o apartamento decorado, um protótipo exato do bem que será futuramente entregue. As tais unidades decoradas são de cair o queixo, encantam pela beleza e bom gosto. Em muitos casos, a decoração, somando móveis e revestimentos escolhidos, ultrapassa o valor do apartamento “pelado”, ou seja, sem piso, armários, gesso etc.

A decoração encanta e vende, mas para a esmagadora maioria dos compradores ela nunca será real. Reais serão as prestações e os condomínios. Reais serão as lutas para se morar no lugar que se desejou. Nós, pastores, somos como apartamentos entregues, chão rústico, nada de beleza ou luxo, mesmo assim, uma realidade segura para se viver e morar. O problema fica por conta da decoração, pois a mesma é quase uma exigência por parte das pessoas, suas cores e formas seduzem. É então que começam as invencionices, bizarrices e meninices.

Cresce o número de pastores em busca de “decorações” para o seu ministério. Seu público, as ovelhas, quer ver a decoração, afinal, sem decoração tudo fica sem graça. Nessa ansiedade neurótica por novidades decorativas, já vi de tudo. Só para citar uma, não esqueço um culto feito com o objetivo de expulsar todos os demônios das pessoas. Lotou a igreja. Sim, tinha muita gente querendo ver a decoração! O detalhe é que duas horas se passaram e nada de anormal, depois de insistentes e longas orações, nada aconteceu. Foi então que veio o desespero nos organizadores, através da infeliz oração: “Demônios, venham para este lugar, manifestem-se nas pessoas para que possamos expulsá-los”. Que tal?

Precisamos entender que enquanto Deus destaca um Billy Graham, outros milhares de servos tão bons e tão produtivos permanecem no anonimato. E tudo segundo a vontade de Deus. Ou seja, decoração boa é só aquela que Deus dá, pois as nossas geralmente viram mico, vexames públicos desnecessários.

Assim como o apartamento é muito mais importante do que a decoração, a verdade é infinitamente mais importante que qualquer belo discurso vazio de conteúdo e impacto da revelação bíblica. E aqui entra o nosso pastoreio, pois as ovelhas que pastoreamos e para as quais pregamos, precisam muito mais que decoração ministerial, precisam de um projeto sólido, seguro e com entrega garantida.

Jesus, o Sumo Pastor, explica muito bem a prioridade da verdade em cada gesto e pregação. Como exemplo cito um trecho do sermão do monte, no capítulo 7 e versículos 13 e 14 de Mateus, numa tradução da Bíblia Viva: “Só se pode entrar no céu pela porta estreita! A entrada para o inferno é larga, e sua porta é bastante ampla, para todas as multidões que escolherem esse caminho fácil. Mas a porta da vida é pequena e a estrada é estreita, e só uns poucos a encontram.” Nada de ilusões e massagens no ego, apenas a verdade.

Nada de facilidade, zona de conforto ou vantagem. A pregação do Sumo Pastor sempre foi carregada de amor e ao mesmo tempo verdadeira e direta, por mais dura que fosse, ou seja, nenhuma “decoração” para abrandar o peso da verdade que deveria ser proclamada.

Nessa perspectiva, sem jamais abrir mão do amor, do respeito, da honestidade e da ética, devemos ser “pastores sem decoração”. Por difícil que seja, no final a verdade vence e prevalece. No capítulo 7 de Mateus, Jesus encerra o sermão do monte. Logo na abertura do capítulo8, anarrativa assim se inicia: “Grandes multidões seguiram a Jesus quando ele desceu a encosta do monte”. Notou? As muitas verdades que Jesus pregou não afastaram as multidões, pelo contrário, elas seguiram a Jesus.

Que nós não tenhamos nenhum receio de pregar e viver a verdade, seja qual for o preço a ser pago. Quanto à decoração, confiemos em Deus, ele é suficientemente poderoso para saber a hora, o lugar e a forma certa de impressionar a quem quer que seja, se este for o caso. Porque para mim, à medida que crescemos em maturidade, não existe “decoração” que seja necessária ou supere a certeza da salvação garantida na cruz e ofertada gratuitamente a todo povo, língua e nação.

Paz!

Fonte: Cálice de Vida | Compartilhado no PCamaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.