terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Por que vamos à Igreja?

Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima. (Hebreus 10:25)


Por PC@maral

Durante algum tempo, ir ao templo, ir à Igreja era uma coisa comum para os que professam a fé em Jesus Cristo. Um momento de grande prazer e deleite. Afinal, estávamos indo para a Casa de Deus. Onde Deus fez habitar o seu nome e onde temos comunhão com Ele e com os demais salvos.

Mas, parece que esse sentimento mudou, e mudou muito. Algumas pessoas pararam de ir à Casa de Deus pelos mais diversos motivos. Outras tem ido como que por obrigação, para cumprir um ritual. Algumas pessoas por causa do poder que determinado cargo lhe atribui. Outras nem sabem por que vão, e dentre essas muitas faces de crentes, não citei todas, ainda existem aqueles que vão por prazer, por gratidão, por amor àquele que os salvou da morte eterna, a saber, Jesus Cristo.

A pergunta é: Por que vamos à Igreja?

1 – Para dar graças a Deus e para adorá-lo.

Durante toda a semana oramos a Deus pela nossa vida e pela vida de nossos entes queridos, para que o Senhor nos guarde e proteja e nos dê saúde e forças para trabalhar e para que nunca falte alimento em nossa casa. Quando adentramos ao templo para cultuar ao Senhor, levamos um coração cheio de gratidão, porque sabemos e reconhecemos que o Senhor foi conosco durante todo o tempo, durante toda aquela semana, e que Ele nos assistiu e guardou de todo o mal. Então me ponho de joelhos e dou graças a Ele. O Deus Todo Poderoso. E presto culto de ação de graças, e exalto seu nome, e glorifico ao único que é digno de hora, glória e poder, o nosso Senhor Jesus Cristo!

Não vou para ser agradado, mas para agradar ao Senhor que me salvou que me libertou da escravidão do pecado e me mostrou um novo caminho. É tão bom louvar a Deus, ao Altíssimo Senhor exaltar! Louvem o nome do SENHOR, porque só o seu nome é excelso; a sua majestade é acima da terra e do céu. (Salmos 148:13)

2 – Para aprender de Deus.

Na Casa do Senhor aprendemos sobre Sua vontade para as nossas vidas. Conhecemos a Sua Palavra que nos mostra o caminho para a santificação e para a salvação. O próprio Senhor nos encoraja: crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. (...) (2 Pedro 3:18). O Senhor sabe que sem conhecimento Dele somos presas fáceis do inimigo e a falta de conhecimento nos leva a destruição: O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. (Oséias 4:6a). É na Casa do Senhor que nos alimentamos do Senhor. Onde recebemos o alimento espiritual que nos fortalece que nos faz crescer e nos torna firmes para suportar os perigos da jornada. Jesus nos deu exemplo: E crescia Jesus em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens. (Lucas 2:52)

O Senhor Jesus quando foi para o deserto foi tentado por Satanás, que usou a própria palavra de Deus para enganá-lo. Jesus, que é o Verbo, a Palavra, respondeu com a própria palavra e envergonhou o adversário, que fugiu de Sua presença. Se eu não me alimento da Palavra do Senhor como poderei suportar e rebater as acusações do inimigo que usa do engano para me destruir e, tem a clara intenção, de me fazer voltar para as práticas pecaminosas que eu tinha anteriormente?

3 – Para praticar o que aprendemos de Jesus.

Talvez seja essa a questão mais difícil: praticar a Palavra de Deus. Muitos não conseguem e se desesperam por causa disso. Mas não deveriam. Deus sabe e conhece cada um de nós. Conhece nossas limitações e nossa dificuldade. Nunca seremos perfeitos, Deus declarou isso e nos deu uma orientação: Não sejas demasiadamente justo, nem exageradamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo? (Eclesiastes 7:16) Perfeito só existe um: Jesus Cristo. Mas Ele é o nosso alvo, a Ele devemos imitar. Jamais seremos perfeitos como Ele é, mas Ele é o nosso modelo. Devemos ser imitadores de Cristo.

A Palavra de Deus diz: Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito. (Provérbios 4:18). Quando vamos à Igreja e aprendemos a vontade do Senhor e praticamos no nosso dia-a-dia a Sua vontade, então, completamos um ciclo: Sou salvo por Cristo, dou graças por Ele ter me salvado, aprendo qual é a Sua vontade, pratico seus ensinos e testemunho para outros a Sua salvação, para que outros tenham a mesma oportunidade que eu de fazer parte da família de Deus.

A prática da Palavra do Senhor nos leva a perfeição. Lembra do jovem rico? O jovem rico tinha conhecimento da Palavra, faltava-lhe praticar. Jesus lhe disse: Se queres ser perfeito, vai, vende os teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; depois, vem e segue-me. (Mateus 19:21). Não seremos perfeitos como o Senhor, mas caminharemos, passo a passo, rumo a perfeição.

CONCLUSÃO

Deus faz tudo de maneira que não temos como escapar de Sua vontade. E Sua vontade é boa, agradável e perfeita. Então tudo o que Deus nos ensina para praticar é bom, agradável e perfeito. É na igreja que praticamos o que aprendemos. E uma das coisas que mais Deus se importa é que pratiquemos a comunhão. É impossível praticar comunhão fora da Igreja. Não existe Igreja do eu sozinho. Por isso Jesus disse: onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles. (Mateus 18:20). Reparou? Dois ou três reunidos em seu nome. Jesus quer que nos relacionemos, que amemos ao nosso irmão, que até o suportemos, que o aceitemos como ele é, assim como o irmão nos aceita. Todos nós temos defeitos e falhas e nem por isso Jesus deixou de morrer na cruz por mim, que sou cheio de falhas, e por você.

Por que vamos à Igreja? Para dar graças ao Senhor pela nossa vida e exaltar e glorificar Seu Santo nome. Para aprender e nos alimentar de Sua Palavra; que é Palavra de Vida Eterna. Para praticar, junto com os irmãos em comunhão tudo o que Jesus nos ensinou até agora.

Que Deus continue nos ajudando e nos abençoando!


PC@maral

7 comentários:

  1. Amei o texto....vou fazer um velho ctrl+c ctrl+v no Hospital da Alma..r.srs...


    Fique com Deus PC

    ResponderExcluir
  2. Muito bom,
    Mas discordo em partes quando você diz que vamos à igreja praticar o que aprendemos. Creio que devemos praticar os ensinamentos de Jesus em todos os momentos de nossa vida. Talvez o templo em si seja o lugar em que menos precisamos transaprecer nossa semelhança com Cristo. Acredito que a maior prática que fazemos na igreja, enquanto local físico, é a da vida em comunidade; pois é lá que nos encontramos com nossos iguais e nos fortalecemos com eles para viver a vida fora das paredes seguras do templo.

    ResponderExcluir
  3. Martins, a paz do Senhor!

    Obrigado pela visita e pelo comentário.

    Sim! Concordo plenamente que devemos praticar os ensinamentos de Jesus em todos os momentos. Este é o nosso testemunho diario. As pessoas sentindo o bom perfume de Cristo em nossa vida.

    A idéia é - tudo começa com a gratidão a Deus - assim como o amor ao próximo começa na igreja, onde, através da comunhão, como você bem disse, da vida em comunidade, aprendemos a amar e até mesmo a suportar. E deste aprendizado adquirimos experiência para amar e suportar as pessoas do mundo.

    Se não aprendemos isso na igreja como pregar para mendigos, doentes, encarcerados? Para aquele vizinho que só causa problemas na rua, ou no andar onde mora?

    Respeito sua opinião, mas insisto em que tudo começa com a igreja. Ou seja, com a Palavra. A Palavra gera o crente e a Palavra mantém e instrui o crente e a igreja.

    Então "saimos do mundo" e ao mesmo tempo "voltamos para o mundo" pregando a mensagem do evangelho.

    Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
  4. Também discordo do tópico "praticar na igreja".
    Praticar na igreja é fácil, difícil é aqui fora.

    Mas, concordo que ir à igreja deva ser um deleite, não um ritual, nem obrigação.
    Deve ter gratidão, comunhão e alimento para mais uma semana e assim sucessivamente até aquele Dia. Amém!!

    ResponderExcluir
  5. Solange, a paz do Senhor!

    Quando eu destaco o praticar na igreja levo em consideração que não tínhamos nenhuma experiência com a piedade, muito pelo contrário, éramos maus por natureza.

    Recebemos o perdão de Deus e a salvação, aprendemos sobre Sua vontade e sobre Sua Palavra, praticamos primeiro com os irmãos de dentro para poder sair e resistir as tentações e apelos dos que ainda estão no mundo.

    É claro, e concordo plenamente que a prática principal é lá fora, no mundo, testemunhando o amor de Deus para que atraia mais e mais pessoas para Cristo, mas, para inicio precisamos aprender a amar aquele que, agora, é chamado meu irmão. Ou seja, uma pessoa que nunca vi antes e que diz que me ama. Antes de me converter eu era rodeado de pessoas que diziam que me amavam e gostavam de mim, triste foi constatar que isso acontecia enquanto eu era util. Findando-se essa utilidade todos viravam as costas quando eu mais precisava.

    Essa era a bagagem que eu trazia comigo para a igreja. Agora seria diferente, e eu precisava mudar, precisava aprender a amar as pessoas e deixar de lado toda aquela desconfiança que tinha anteriormente.

    Por esse motivo enumerei os tópicos: Primeiro dou graças pelo milagre de Deus em minha vida. Segundo aprendo Sua Palavra e Sua vontade e Terceiro pratico dentro para poder atuar fora.

    Eu aprendi muito, praticando, dentro da igreja com meus irmãos. A amar sem restrições, a entender que antes eu não sabia do amor de Deus como agora sei, aprendi que era necessário amar as pessoas como elas eram e confiar no Espírito Santo para efetuar a mudança, mudança essa de dentro pára fora. Aprendi a ter paciência, a depender do poder de Deus e não na “minha” capacidade. Enfim, posso enumerar várias coisas que eu demoraria muito tempo se simplesmente saísse imediatamente.

    Hoje tenho segurança, olho para as pessoas com outros olhos, agora sinto amor e me compadeço, e me entristeço com a desgraça humana, fruto do afastamento do homem de Deus, e não me aborreço mais com essa ignorância, muito pelo contrário, persevero para pregar a mensagem de salvação.

    Tudo isso aprendi praticando com meus irmão na igreja. Mas, entendo que não é uma regra. Algumas pessoas talvez nem precisem, mas compreendo que a grande maioria sim.

    Obrigado pelo seu comentário. Que Deus lhe abençoe!

    ResponderExcluir
  6. PC, você é um dos poucos IAP que já vi com tanta intelectualidade e abertura mental para discutir tão interessante. Eu gostaria de saber se há mais blogues IAPs como o seu.

    ResponderExcluir
  7. Olá Emerson! Sempre participando no blog com seus comentários.

    Eu atribuo tudo isso a Deus. A Ele dou sempre graças e glorifico Seu santo nome. Sei que sem o Senhor Jesus nada posso fazer.

    Quanto a outros blogs, a resposta é sim. Existem outros mais, tão bons ou melhores em conteudo do que o PC@maral.

    Mas tudo isso só soma. tanto os nossos blogs como o seu blog que também é uma benção e traz edificação ao povo de Deus.

    Que Deus te abençoe meu irmão e te ajude cada vez mais!

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.