terça-feira, 18 de setembro de 2012

Três Coisas que Ficam

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor (...)(I Coríntios 13:13a)

Por Elias Alves Ferreira

A vida passa rapidamente. Situações e pessoas aparecem, reaparecem e desaparecem. E o tempo apenas aparece e desaparece, como uma estrada de mão única, que somente vai. Somos donos de poucas coisas, porque a maioria nos são emprestadas por um pequeno período. Mas abrir mão de tudo diante da realidade? Jamais. Mediante as palavras de Paulo, três elementos essenciais da vida permanecem, como sustentáculos da existência: A fé, a esperança e o amor.

A fé é a motivação primária. Com ela conseguimos ficar em pé e alavancar a vida. A fé é a certeza que vai dar certo. Ela não convive com o talvez e está divorciada de todo espírito de medo e derrota. Com ela conseguimos abrir a porta ao sobrenatural. Encontramos em Hebreus 11:1 “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem”. Inspiradíssimo, o Apostolo João escreveu: “porque todo aquele que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé” – 1 João 5:4.

A esperança é a saudação do futuro e a respiração da vida. Por meio dela vencemos o imediatismo estressante dos nossos dias. Nem tudo é para o agora. A vida é como um alimento que deve ser experimentado um bocado de cada vez e só aprende esta lição quem tem a esperança impregnada na alma. A esperança não aceita o sofrimento do hoje como definitivo e nos faz levantar os olhos. É uma bandeira que tremula no alto da montanha.

E o amor? Amor é o sentimento maior que rege os instintos e a vida. É o maior dos dons ministeriais e espirituais. Na continuação do texto de I Corintios 13:13 está escrito: (...) estes três, mas o maior destes é o amor”. É o que justifica qualquer atitude pensada, falada e materializada. É a fonte de todas as coisas boas e o que amortece e anula todo impacto maligno. O amor é físico, metafísico, transcendente, moral, material, espiritual... é Deus! “Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor” – I João 4:8. Por amor Deus fez tudo, inclusive doou temporariamente Seu Filho na cruz, para remissão dos nossos pecados e libertação do mal. Se hoje podemos falar de fé esperança e amor é devido o Cristo que vive em nós.

A fé é a partida, a esperança a viagem e o amor a chegada e o banquete. A fé olha para cima, a esperança para a frente e o amor para todas as dimensões. A fé e a esperança são para o presente e o amor, para o presente e a eternidade.

Quase tudo pode ser subtraído, menos as três virtudes “teologais” que marcam e definem o tamanho da nossa felicidade. Podemos perder muitas coisas na vida, mas jamais podemos abrir mão da fé, da esperança e do amor.


Texto do Pastor Elias Alves Ferreira | Compartilhado no PCamaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.