quinta-feira, 8 de julho de 2010

Seis Motivos para Devolvermos o Dízimo e Ofertar na Casa de Deus [3] Amor a Deus

Nisto se manifesta o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos. (1 João 4:9)

O terceiro motivo da série - Seis Motivos para Devolvermos o Dízimo e Ofertar na Casa de Deus – é o amor a Deus. Neste sentido. O amor a Deus deve ser a coisa mais importante na vida do cristão, pois é a base da relação consigo mesmo e com o próximo. Em João 3:16, lemos: Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que entregou o seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. O apóstolo Paulo também diz que Deus prova o seu amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores (Rm 5:8).

Esses textos sagrados deixam claro que o bondoso Deus já ofereceu a maior prova de amor para conosco: seu Filho, na cruz, em nosso lugar. Esta é uma prova concreta, cujos efeitos permanecem inalteráveis, gerando fé, vida, paz e esperança, para todo aquele que nele crê.

De nossa parte, uma das formas concretas pelas quais demonstramos nosso amor a Deus é através da contribuição financeira, pois vai além da confissão falada ou escrita e só pode ser exercida por uma ação voluntária, por uma atitude de comprometimento com nosso Salvador.

No evangelho de Marcos o Senhor explica a profundidade e a amplitude do amor que a pessoa restaurada deve expressar, durante sua vida: Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força (Mc 12:30).

Como podemos perceber, essa qualidade de amor envolve tudo o que somos e temos inclusive os nossos dízimos e as nossas ofertas, sem reservas, para aquele que é sobre todas as coisas: Jesus Cristo, nosso Salvador e Senhor.

Amém!

***

DEC - PC@maral

Um comentário:

  1. A paz...
    muito bom seu blog
    já linkei ele!!!
    www.jotabepontodevista.blogspot.com
    JB

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão moderados. Me reservo ao direito de não publicá-los caso o conteúdo esteja fora do contexto, ou do assunto, ou seja ofensivo ao autor do texto.